NOTÍCIAS

12/12/2016
Encante-se com o Canyon Itaimbézinho

Encante-se com o Canyon Itaimbézinho

Texto Extraido do Site cambaradosul.tur.br

 

Itaimbezinho é um nome de origem Tupi-Guarani, ita significa pedra e Ai be afiada. Está localizado entre Cambará do Sul e Praia Grande, no Parque Nacional dos Aparados da Serra, a 18 Km da sede do município. O acesso ao parque é possível através da RS 429 ou pela SC 360, em uma estrada de chão batido.

Sua formação rochosa existe a pelo menos 130 milhões de anos e é um dos maiores do Brasil, sua extensão atinge 5.800 metros e uma largura que varia entre 200 e 600 metros. Sua profundidade máxima é de 720m. As paredes de cor amarelada e avermelhada são cobertas, de ponto em ponto, por vegetação baixa. Ao redor do cânion os pinheiros nativos completam a paisagem.

O Rio Perdizes desce as paredes rochosas para formar a cascata Véu de Noiva de uma beleza sem igual, esta cai de uma altura de 700 metros, produzindo uma bruma antes de atingir o fundo do cânion. No azulado do cânion, como gigantesca serpente, o Rio Boi se move preguiçosamente entre as pedras, formando uma série de caprichosas cachoeiras, que deslizam para o vizinho Estado de Santa Catarina.

O Parque Nacional dos Aparados da Serra é administrado pelo IBAMA, cuja sede está localizada no Parque. Lá é possível encontrar lanchonete, banheiros, estacionamento, espaço cultural, além de guias que auxiliam os turistas a realizarem as trilhas do local. São elas:

Trilha do Vértice: a trilha inicia no centro de visitantes do Parque Nacional dos Amparados da Serra, em menos de uma hora de caminhada é possível alcançar a borda do cânion Itaimbezinho, chegando até a queda da cascata Andorinhas.

Trilha do cotovelo: uma trilha leve de, aproximadamente, 6,3 quilômetros. A mesma leva até um mirante que proporciona uma visão geral do cânion. O último horário de saída para trilha é as 15:00 horas.

Trilha do Rio do Boi: consiste e em uma trilha longa e cansativa , são 8 quilômetros de ida e volta, podendo durar até 7 horas. É a única trilha que permite acesso no interior do cânion. Ela parte da cidade de Praia Grande. Há diversas travessias pelo rio do Boi, dependendo muito do nível do rio. Ao longo da trilha é possível tomar banhos em piscinas naturais de águas geladas.

Aberto de terça a domingo, das 08h às 17h. Atenção: é proibido acampar, acender fogueira, fazer travessias e levar animais de estimação nos parques.

Ingresso: R$ 6,00 por pessoa. Criança até 7 anos não paga.

Estacionamento: R$ 5,00 (carros leves) / Ônibus: R$ 10,00.

Valores sujeitos a alterações. Confirme com a recepção do parque pelo telefone (54) 3251.1277 / 3504.5289 / 3251.1262.

 Como se formaram os Canyons!

    Basalto é uma rocha magmática porque resulta da consolidação do magma (material ígneo que está no interior do globo terrestre) e é chamado também de rocha magmática extrusiva porque sua consolidação ocorreu na superfície.

A cerca de 137 à 150 milhões de anos atrás a terra era formada por um único continente chamado de Pangéa.

Todo esse território era constituído de um deserto chamado de bacia sedimentar do Paraná. Então aconteceu o que na geologia é chamado de “Derrames Basálticos” ou seja, esse deserto se rachou e o magma do centro da terra imergiu e alagou uma área de 1.000.000 Km². O magma vinha do centro da terra a uma temperatura de 10ºC resfriava e solidificava ao mesmo tempo. Assim ocorreram 13 derrames basálticos.

A 135 milhões de anos as placas tectônicas começaram a se mover e o continente de Pangéa começou a se separar, dividindo-se primeiramente em dois continentes que passaram a chamar de Laurasia e Gondwana. Conforme as placas tectônicas se moviam, estes dois continentes também foram dividindo até formarem os continentes que a gente tem hoje. Com essas divisões as bordas aqui do planalto ficou cheio de rachaduras que comparado ao que é hoje não eram quase nada. A partir destes 135 milhões de anos para cá o rio veio causando erosão e veio formando o canyon.

” O canyon nada mais é do que o fruto da erosão do rio”

CANYON – fenda profunda e sinuosa cavada pela erosão do rio.

Pólos de Ecoturismo

    O Pólo do Itaimbezinho reúne o mais famoso cânion do Parque Nacional dos Aparados da Serra e também o maior da América do Sul com uma extensão de 5800 metros e uma largura que alcança os 200 metros. Seu nome vem do Tupi Guarani que significa pedra afiada. As paredes rochosas do Itaimbezinho têm altura máxima de 700 metros, cobertas por vegetação baixa e pinheiros nativos.

O Parque Nacional dos Aparados da Serra localiza-se no município de Cambará do Sul, na Serra Gaúcha, em meio à região das Hortênsias. Depois de visitar o Itaimbezinho, outras opções estão disponíveis para o deleite dos olhos.
Os Cânions da Fortaleza, do Malacara e do Faxinalzinho não perdem em beleza. Em São José dos Ausentes o Monte Negro, o Morro Agudo e o Cachoeirão dos Rodrigues aliam a prática do Ecoturismo com a tradição Gaúcha nas Casas de fazenda. Em Bom Jesus e Jaquirana a paisagem dos Campos de Cima da Serra proporcionam momentos mágicos.
O frio é um atrativo extra, chegando no inverno a temperaturas abaixo de zero com ocorrência frequente de geada, podendo nevar. No verão a temperatura situa-se por volta dos 22º C. Em toda região há concentração de araucárias, com sub-bosques de pinheiro-bravo, aroeira e carvalho.
As formações campestres ocorrem em partes onduladas do planalto.
O Lobo-Guará, o Puma americano, a jaguatirica, o Guaraxaim-do-campo, o Urubu-Rei, a Gralha Azul e a Curicaca são representantes da fauna local.